quinta-feira, 19 de março de 2015

Está plenamente comprovado o difícil que é convencer, a quem se acha identificado com o erro, de que vive fora da realidade. Achar-se identificado com o erro é viver sob uma permanente sugestão que tudo deturpa ou tergiversa. Exemplo eloquente temos no campo político. Quantos não se deixaram enganar pelas afirmações dos líderes totalitários, que se proclamam paladinos da democracia, da liberdade e do direito? Nem mesmo vendo todo o contrário as pessoas saem de seu erro, tal é a obstinação e a invalidez mental que as dominam.
No campo religioso, os erros se fundamentam numa pregação de fatos absurdos, que os adeptos admitem sem reflexão nem julgamento. Grave é a cegueira do crente, cuja inteligência não pode discernir entre o verdadeiro e o falso. Conforma-se em crer que está no certo e rechaça toda ideia emancipadora de sua incondicional submissão ao dogma, porque o aterroriza o simples fato de pensar que poderia estar equivocado.No social, à semelhança do político e do religioso, abraça-se com fanatismo uma ideologia e, embora esta se estruture sobre falsidades e ponha de manifesto embustes inqualificáveis, acredita-se docilmente que ali está a verdade, caindo sob o feitiço sedutor de suas promessas, como o pássaro na armadilha.

A evolução consciente permite ao homem defender-se do engano onde quer que este o espreite, porque fundamenta sua defesa no conhecimento das causas que o engendram. Assim, por exemplo, sabe que é impostura o que não concorda com a realidade e o que se esquiva à verificação individual, à qual todo ser tem direito. As verdades, quando o são, não se ocultam nem se impõem; revelam-se à luz da razão, com o objetivo de que o homem tome consciência delas e as use para emancipar-se da ignorância.

O que se pretende impor como verdade só tem um fim: escravizar o ente humano, para convertê-lo em instrumento passivo daqueles que exploram sua credulidade.

Carlos Bernardo González Pecotche

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Homens e ilhas

"Nenhum homem é uma ilha, completa em si mesma; todo homem é um pedaço do continente, uma parte da terra firme"
" A morte de qualquer homem diminui a mim porque estou envolvido na humanidade"
John Donne, reverendo anglicano, Londres, Séc. XVII.

sábado, 1 de outubro de 2011

Saber e não saber

"Quanto mais aumenta nosso conhecimento, mais evidente fica nossa ignorância." (John Kennedy)
"Pense como uma pessoa de ação e aja como uma pessoa que pensa."
(Henri Louis Bergson)
"Quanto mais conhecemos, mais amamos." (Leonardo da Vinci)
"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses." (Sócrates)


Pequenas sementes

"A neve e as tempestades matam as flores, mas nada podem contra as sementes."
(Khalil Gibran)

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Intuição



Para Platão a intuição era o mais alto nível da sabedoria humana.

Para Descartes a intuição não é o testemunho instável dos sentidos nem as elaborações inexatas da imaginação, mas a concepção exata de uma mente lúcida e atenta. É a faculdade mais confiável da mente.

É uma capacidade de percepção e análise que se dá em um outro nível da consciência, cujos modos de operação não não conhecidos, passando por inexistente ou de menor valia, quando ocorre exatamente o contrário, a intuição é uma leitura ampla de uma situação sinalizando para o melhor caminho.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Dizer e fazer

É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática. Paulo Freire

sábado, 3 de setembro de 2011

Nem futuro nem presente

"O que mais me surpreende na humanidade são os homens. Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer. E morrem como se nunca tivessem vivido"
(Dalai Lama)